Colecção O

Onde estás, Caracol?

Susanna Isern & Leire Salaberria

ISBN 978-84-9871-466-1

14,00

Quantidade:
INFORMACIÓN
  • Páginas 48 págs.
  • Encuadernación cartoné
  • Medidas 25x23 cm
  • Publicación julio 2013

Naquela montanha,
o sol e a chuva iam e vinham todos os dias.
De manhã, brilhava o sol
e as lagartixas corriam animadamente.
À tarde, chovia e os caracóis saíam para passear.
À noite, brilhava a lua e os grilos cantavam.
Uma tarde começou a chover e, enquanto corria para casa,
a Lagartixa cruzou-se com o Caracol,
que nesse preciso momento punha a cabeça de fora.

 

 


Descrição

Naquela montanha,
o sol e a chuva iam e vinham todos os dias.
De manhã, brilhava o sol
e as lagartixas corriam animadamente.
À tarde, chovia e os caracóis saíam para passear.
À noite, brilhava a lua e os grilos cantavam.
Uma tarde começou a chover e, enquanto corria para casa,
a Lagartixa cruzou-se com o Caracol,
que nesse preciso momento punha a cabeça de fora.

 

 

Este encontro casual provoca um autêntico amor à primeira vista à Lagartixa, que decide ir procurar o Caracol todos os dias. Porém, tal como em tantas outras histórias clássicas de amor, a relação entre o Caracol e a Lagartixa parece impossível. Se, noutras situações, os obstáculos aparecem por os protagonistas pertencerem a classes diferentes, neste caso, trata-se de espécies díspares: o Caracol não pode andar ao sol, porque fica seco, e aguarda que comece a chover escondido dentro da sua concha. Pelo contrário, a Lagartixa adoece se se molhar. Devido a estas circunstâncias, as dificuldades para se poderem encontrar apresentam-se irremediáveis, ao serem contraproducentes para ambos. Contudo, o amor vence todas as barreiras.

Estamos perante uma história de constância por parte dos dois protagonistas e também de luta contra a adversidade, apesar de esta ser, principalmente, meteorológica. Assim, o Caracol e a Lagartixa terão a merecida recompensa, como costuma acontecer quando há tenacidade e somos guiados pelos bons sentimentos.

Esta é a "bonita mensagem" que a escritora Susanna Isern tentou passar para esta história. A autora de Pilu, pilu! e Urso Caça-Borboletas está convencida de que na vida, "se duas pessoas se amarem e se esforçarem por consegui-lo, tudo é possível com entusiamo e um pouco de imaginação".

Foi também esta ideia que guiou o trabalho de Leire Salaberria, que procurou principalmente que, em todo o momento, as suas ilustrações tornassem os leitores partícipes da "bonita história de amor" entre os dois protagonistas: o Caracol e a Lagartixa.

 

Criar estas duas personagens foi precisamente o "más difícil" para a ilustradora naquele que é o seu segundo trabalho para a OQO, depois do seu debut na editorial com El señor Ramón y la señora Ramona. A artista tinha claro que deviam ser muito próximos dos mais pequenos. Por isso, decidiu "humanizá-los" e dar-lhes um ar "um pouco naïf, com um toque de humor de desenho animado". A coisa mais curiosa é que, uma vez realizado o esboço a lápis de ambos, dar vida ao resto das personagens da história tornou-se mais fácil; "daí em diante, foi-se criando tudo de uma forma muito natural", relata sobre o processo.

 

Apesar de os protagonistas serem o Caracol e a Lagartixa, durante a história, Salaberria introduz uns girassóis, uma libélula, uma família de ratos, um esquilo, uns peixes, uma rã, um coelho e até uma pomba, que se tornam testemunhas curiosas da tenacidade de ambos para conseguirem estar juntos.

 

Quanto à técnica, a ilustradora tinha vontade de alterar "por completo" a sua forma de trabalhar. Assim, pôs de lado a sua habitual tesoura e os recortes de papel, e virou-se para os acrílicos e para os pincéis com o objetivo de "tirar partido da parte mais manual do processo de criação". A artista reconheceu que esta história lhe deu a possibilidade de usar muita cor e de soltar as rédeas a um mundo imaginário "muito pessoal". Por isso, optou por uma gama ampla de cores e por utilizar muita textura, com essa base de formas geométricas que costuma utilizar normalmente.

 

Onde estás, Caracol? foi a história mais longa que já ilustrou e viveu-a como se se tratasse de uma pequena curta-metragem de animação: "imaginei o Caracol e a Lagartixa a correrem, falarem, chorarem, rirem, dançarem…" Por isso, não esconde que «teve muita pena» de se ter que despedir destas personagens quando terminou a última ilustração. "Espero que me guardem um sítio nesse bosque colorido sempre que precisar de fugir da minha realidade", conclui com nostalgia.

 

 

Texto de Susanna Isern
Ilustrações de Leire Salaberria
Tradução do espanhol de Ângela Barroqueiro